Como Sobrevivi ao Puerpério (Pós-Parto)

Hoje fazem mais de 64 dias que dei a luz. Em teoria, o tal puerpério (nome feio para o período do pós-parto) pode durar até 60 dias. 

“O puerpério dura 60 dias e apresenta-se dividido em três fases, assim denominadas: puerpério imediato: logo após o nascimento do bebê, até 10 diasdepois do parto; puerpério tardio: do 11° ao 40° dias após o parto; puerpério remoto: contado a partir do 41° ao 60° dias após o parto. 

(http://www.boasaude.com.br/folhetos-de-saude/5745/puerperio.html)”

Mas já existem teorias que dizem que dura 9 meses, que é o tempo do seu corpo voltar quase totalmente ao normal. Ou até você voltar a ovular, tempo de seus hormônios voltarem a funcionar como antes da gravidez. Isso pode ser bem relativo no caso de você estar amamentando. Nunca se sabe quando vai acontecer.  O período pode durar até enquanto você ainda estiver amamentando. O que pode durar até 2 anos! 

AMAMENTAÇÃO

Enfim, posso dizer que sobrevivi ao período crítico. Tive muita dificuldade na amamentação depois de uns 5 dias. Quando já estava em casa, achando que tava tudo bem, comecei a ter mastite, febre e muita dor nos seios. Corri pro hospital. O que me ajudou foi colocar gelo nos seios. Tinha tanta dor quando dava o peito que chega a gemer! Tive ingurgitamento nesse início. O que dói demais! Consegui passar por isso com ajuda da enfermagem do Posto de Saúde e das médicas do hospital que me atendeu quando tive febre e dor.

EMOCIONAL

As crises de choro foram umas três ou quatro. E foram daquelas terríveis, parecia que o mundo tava desabando. Na verdade era só medo de não dar conta da minha vida, medo de cuidar de um bebê puro e indefeso, medo de passar mais dificuldades por estar sem dinheiro e sem trabalho, medo da solidão de cuidar de uma criança praticamente sozinha, já que não moro com o pai da minha filha, e estou (temporariamente) na casa da minha mãe. Medos e desesperos todos em forma de lágrimas. Meus familiares estavam comigo nesses momentos de pavor. O pai da Lívia também me aguentou. Até vizinhas vieram me apoiar e falar de Deus. Fiz terapia e continuei com apoio psicológico da minha Doula. Só isso me segurou. Ninguém é de ferro!

PALPITES

Os palpites começaram na gravidez é claro. No início, eu até queria! Porque eu não sabia NADA sobre gravidez e maternidade e queria me informar. Eles vieram em forma de conselhos e foram muito bem-vindos. O problema foi depois que se tornaram palpites mesmo, e o pior, quando se tornaram conselhos agourentos do tipo: “Não vai fazer tal coisa se não tua filha vai morrer! Não vai fazer tal coisa senão tu vai ser péssima mãe! Ou você vai se cansar de ser mãe. Porque ser mãe é horrível! AFF! CANSA DEMAIS

O AMOR DE MÃE SUPERA TUDO

No fim das contas, a maternidade está sendo difícil sim. Mas ao mesmo tempo é a minha maior felicidade! As noites mal dormidas não são tão ruins porque minha bebê dorme bastante. Claro, são bem difíceis as noites que ela chora demais por casa da cólica. Mesmo assim acho que eu acho que consigo manter muit calma. É difícil eu me desesperar. 

Ainda não me adaptei na rotina da casa pra conseguir fazer minha própria comida. Ainda assim, com suas limitações, tenho ajuda da família. Tem dias que eu deixo de me cuidar, que é uma correria pra conseguir ir no banheiro (POIS É! HAHAHA), tem as brigas de casal que são dolorosas, mas necessárias em alguns momentos, tem os dias e dias dentro de casa por causa do tempo ruim e tal.  Ah! Esqueci de citar a fome de leão, pior que na gestação, você parece um bixo! E a auto-estima que vai e vem, poque seu corpo muda totalmente.

Ao mesmo tempo tem a alegria dessa pequenina sorrindo de graça, como tá fazendo agora aqui do meu lado na cadeirinha enquanto eu escrevo, até os cocôzinhos dela eu aplaudo! Huiashdasd juro! É uma felicidade imensa ser mãe. Posso ficar cansada dos desafios. Vou sofrer como nunca quando ela ficar doente. Mas eu sou a pessoa mais feliz do mundo agora. Ela me faz completamente feliz. Eu amo ser mãe. Eu renasci e desde quando ela nasceu, eu sou uma guerreira e agradeço demais a toda ajuda que recebi e ainda recebo. E agradeço principalmente a Deus por essa glória na minha vida.

Fotos: Greice Nichele https://www.facebook.com/greicenichelefotografia/

*Post escrito em 30/06/2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s